FALE COM A PREFEITURA  | Ji-Paraná (RO) 22/08/2017

Prefeitura de Ji-Paraná

Autismo: Prefeitura de Ji-Paraná deve ceder espaço escolar para AMAJI

A Associação quer criar um centro de atendimento especializado para jovens autistas

_______________________________________________________________________________

 

Justamente na Semana do Autismo, uma ótima notícia para pais e alunos autistas: representantes da Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Ji-Paraná – AMAJI entregaram ao prefeito Jesualdo Pires, um documento pedindo a cedência do prédio onde até o ano passado funcionava a Escola São Gabriel, localizada na Linha União, km 16, para servir como sede da Associação e como um centro de atendimento especializado para jovens autistas. O Prefeito não só foi receptivo à iniciativa da entidade como já solicitou, de pronto, da secretária de Educação do Município, Leiva Custódio Pereira e do secretário de Desenvolvimento e Relações Institucionais, Ari Saraiva que sejam feitos os estudos de viabilidade jurídico/institucional para dar início ao processo de transferência ou mesmo de comodato daquela estrutura para a AMAJI.

Segundo explicaram ao prefeito a diretora do Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado para Autismo de Ji-Paraná – CMAEE Autismo, Márcia Pereira de Souza e Marinez Hubner, presidente da AMAJI, hoje, o quem tem preocupado não só a direção do Centro de Autismo quanto os pais dos alunos autistas é a descontinuidade do atendimento ao aluno autista quando ele atinge o limite de idade em que pode permanecer no Centro. Teoricamente, o aluno estaria apto a frequentar o ensino regular, porém, na prática nem sempre funciona assim, uma vez que o grau de comprometimento varia de indivíduo para indivíduo, e, mesmo atingindo uma certa maturidade cognitiva ele ainda assim necessita das terapias e de um acompanhamento especializado para que não corra o risco de uma estagnação ou mesmo regressão na aprendizagem deste aluno autista.

“É um presente tanto para a AMAJI quanto para o Centro. É muito difícil quando temos que nos despedir de um aluno que está com a gente desde pequeno sem saber para onde ele vai. Agora a gente poder dizer para a mãe: teu filho está sendo transferido para a AMAJI. Porque a AMAJI vai dar continuidade àquele trabalho que é realizado no Centro, ele vai ter as terapias, o acompanhamento necessário… então a mãe já sai de lá sorridente, ela não vai precisar mais recorrer ao Ministério Público para brigar para que o filho permaneça no Centro porque não existe outro atendimento”, comemorou Márcia.

 

Desafio

Jesualdo Pires elogiou a iniciativa dos membros da associação ao “abraçar tão grande responsabilidade” e se dispôs a ajudar “no que for possível” para o sucesso da Associação em mais esta “batalha”.

“É uma responsabilidade grande, uma vez que a partir do momento em que a Associação receber esse prédio público, a manutenção dele passa a ser da Associação. Eu admiro muito a iniciativa porque realmente não é uma tarefa fácil, mas é para isso que estamos aqui, para apoiar e ajudar estas iniciativas que só vêm a somar, a melhorar a qualidade de vida de nossos munícipes”, destacou o Prefeito.

“Estivemos lá e gostamos muito do espaço. A princípio a gente estava procurando uma sala e veio essa possibilidade do prédio onde funcionava a escola. Nosso objetivo é montar um espaço para equoterapia, uma horta sensorial, uma cozinha terapêutica… enfim receber os alunos que saem do Centro de Autismo e dar continuidade ao desenvolvimento deles. Portanto, só temos a agradecer esse apoio, em nome de todos os pais de crianças e jovens autistas, porque isso, principalmente para mim que tenho filho autista, é um sonho que estamos realizando”, finalizou a presidente da AMAJI, Marinez Hubner.

 

Providencial

Ainda durante a reunião com os representantes da AMAJI e do Centro de Autismo, Jesualdo Pires destacou a presença dos vereadores Lorenil Gomes da Silva (PSC) e Clodoaldo Cardoso (PR) que, por coincidência, ou como disseram os próprios vereadores, “obra de Deus”, permaneceram no Gabinete após uma reunião a qual participaram. Acontece que tanto Lorenil quanto Clodoaldo têm na família crianças com deficiência e se prontificaram a ajudar a AMAJI a interceder junto ao Governo do Estado para firmar parceria que venha a possibilitar a implantação dos projetos da Associação em Ji-Paraná.

06/04/2017

Fonte: ASCOM

Prefeitura Municipal de Ji-Paraná

Av 2 de Abril, 1701 - Urupá - Telefones: (69) 3416-4000 / 3411-4211
Ji-Paraná - Rondônia

Conteúdo: DECOM Departamento de Comunicação Municipal